• Dra. Camila Couto e Cruz

Morando no exterior: “Me sinto perdido agora que acabou a saga em busca da residência permanente"


Assim que se decide ficar no exterior de maneira definitiva, inicia-se uma grande jornada em busca do visto de residência permanente, mas, esse visto não é facilmente obtido em nenhum país do exterior.


Existem várias reportagens circulando na internet, afirmando que têm algumas profissões em demanda ou que estão convocando brasileiros para se mudarem para algum país específico, mas a realidade é que embora essas reportagens não sejam totalmente falsas, elas falam de maneira extremamente simplificada sobre um processo que contém muitas regras e que leva um tempo considerável para acontecer.


A verdade é que para conseguir o visto permanente, normalmente exige-se que a pessoa tenha um visto de trabalho onde ela cumpra uma carga horária semanal pré-definida, comprove experiência prévia na sua área de atuação e tenha um salário anual até determinado valor. Além disso, requer um certo período de tempo de permanência no país onde se está morando.


Considerando que o processo de busca por residência permanente é demorado, é importante salientar que muitas pessoas acabam tendo esse processo atrasado por decepções relacionadas ao seu emprego, ao seu empregador ou até mesmo por questões pessoais, que impedem que elas cumpram todos os requisitos para a obtenção do visto no período de tempo exigido pelo governo.


Frustações com o empregador são muito comuns de acontecerem, pois muitos desses empregadores ao saberem que aquele imigrante depende daquele trabalho para conseguir o seu visto permanente, passam a explorar e muitas vezes até a maltratar o empregado.


Do mesmo modo, questões pessoais relacionadas a falecimentos na família, problemas de saúde mental, como depressão profunda ou mesmo algum acidente ou doença incapacitante, podem ser grandes pedras no caminho de quem está no meio da jornada para conseguir o visto.


Por ser uma jornada árdua, o indivíduo se desgasta profundamente durante o processo. Sua saúde física pode ficar comprometida, visto que são muitas horas dedicadas ao trabalho e sua saúde mental pode ficar abalada pois, todo o processo é ansiogênico podendo levar o indivíduo a ter sintomas de ansiedade que podem ser leves ou graves.


Acontece, que mesmo os sintomas leves de ansiedade se forem sentidos por um longo período de tempo podem prejudicar muito a saúde psicológica da pessoa.


Ao finalizar o processo do visto, o imigrante tende a se sentir perdido, com uma sensação de vazio muito profunda já que ao longo dos últimos 5 ou 10 anos o seu propósito principal na vida era voltado para aquele projeto.


Para suprir esse vazio que ficou e sair da monotonia em que se encontram, muitas pessoas adquirem hábitos e pensamentos que não são saudáveis.


Se você está vivenciando esse momento, em que um grande objetivo foi ou está prestes a ser alcançado e para não sentir o vazio do término dessa busca, você acabou se colocando em outras situações desconfortáveis, sem apreciar o seu momento de glória, é importante procurar ajuda.


A busca pelo visto é um processo doloroso e, o apoio psicológico torna-se essencial para que ao chegar ao final desse processo você possa ter o tempo necessário para aproveitar esse momento e depois de um tempo consiga desenhar novos projetos que estejam alinhados com o seu propósito.


Procure se ocupar com atividades saudáveis que agreguem para sua melhor qualidade de vida, incluindo tudo o que não era possível fazer antes, já que toda sua energia estava voltada para a busca pelo visto.


Se você se identificou com os assuntos tratados neste post e gostaria de aprofundar-se no autoconhecimento através da psicoterapia ONLINE, entre em contato comigo clicando aqui. Desta forma eu poderei explicar mais sobre o meu trabalho para você e você poderá tirar dúvidas sobre a psicoterapia ONLINE.


Links Úteis:


Agendamento de consultas com a Dra. Camila Couto e Cruz


Siga as redes sociais para ter acesso a conteúdos como esse diariamente:


Facebook


Instagram


Quem escreve:


Camila Couto e Cruz é psicóloga com formação em Gestalt-Terapia e doutorado em Psicologia Social pela University of Queensland; uma das 50 melhores universidades do mundo, de acordo com o QS World University Ranking. Camila trabalha com psicoterapia na modalidade online, atendendo brasileiros que vivem no exterior através de uma abordagem dinâmica, voltada para a auto-regulação e ajustamento criativo do indivíduo. Agende uma sessão informativa sobre a psicoterapia online, sem nenhum custo, clicando aqui.

184 views0 comments