• Dra. Camila Couto e Cruz

Morando no exterior: “Não adianta falar… eles não poderão me ajudar mesmo.”

Updated: Mar 12


Muitos brasileiros que vivem no exterior têm dificuldade de lidar com situações que acontecem no dia a dia, como frustrações na rotina, problemas pessoais, profissionais, etc. Ocorre que muitos imigrantes evitam compartilhar suas angústias com os familiares que ficaram no Brasil porque acham que estes não compreenderão as dificuldades encontradas na vida que eles levam no exterior, e também não terão capacidade de auxiliá-los na resolução de seus problemas.


É verdade que muitas famílias brasileiras não terão condições de ajudar com questões financeiras, já que a diferença da moeda é muito grande. O mesmo acontece com questões burocráticas, que o imigrante não sabe resolver, não tem a quem recorrer e sabe que sua família no Brasil também terá pouco ou nenhum conhecimento naquela área para ajudar. Por conta disso, os imigrantes acabam deixando de compartilhar seus dramas pessoais e seus problemas com suas famílias, já que têm a impressão de que, por estarem distantes fisicamente, eles não poderão ajudá-los. Além disso, também tem o medo de preocupar a família que está no Brasil. Muitas vezes, uma situação de nível pessoal ou até de nível financeiro pode realmente desestabilizar a família que está longe, pois esta se sente de pés e mãos atados por não conseguir solucionar aquela situação como gostaria. Essa é uma questão muito comum de acontecer: o imigrante opta por não dividir suas angústias com sua família para não preocupá-la, pois tem em mente que ela não terá condições de ajudá-lo. Mas é importante entender que nem tudo é a resolução do problema em si, e sim, sentir-se apoiado, ouvido e acolhido na sua dor por aqueles que são a sua rede de apoio original.


Além de contar com os amigos que moram próximos, é importante dividir com a família o que está acontecendo com você. Mesmo que não possam ajudá-lo a resolver o seu problema, elas podem oferecer novas possibilidades e ter novas ideias, já que estão olhando a situação como alguém que não está envolvido no problema como você está. Eles podem, sim, dar alternativas boas para você, pois em alguns casos, o apoio e um olhar externo são tudo o que a pessoa precisa para resolver o problema que ela está vivendo.


Quando a situação já está afetando de maneira mais significativa a vida da pessoa que decidiu morar no exterior, é importante buscar apoio psicológico para lidar com as situações que estão se apresentando. Lembre-se: tudo passa! O momento atual pode estar sendo difícil, mas assim como tudo na vida, ele também passará. Por isso é tão importante enxergar a luz no fim do túnel, recorrer à rede de apoio e aos profissionais de referência e compreender que as dificuldades fazem parte do caminho.


Se você se identificou com os assuntos tratados neste post e gostaria de aprofundar-se no autoconhecimento através da psicoterapia ONLINE, entre em contato comigo clicando aqui. Desta forma eu poderei explicar mais sobre o meu trabalho para você e você poderá tirar dúvidas sobre a psicoterapia ONLINE.


Links Úteis:

Agendamento de consultas com a Dra. Camila Couto e Cruz


Siga as redes sociais para ter acesso a conteúdos como esse diariamente:

Facebook

Instagram


Quem escreve:

Camila Couto e Cruz é psicóloga com formação em Gestalt-Terapia e doutorado em Psicologia Social pela University of Queensland; uma das 50 melhores universidades do mundo, de acordo com o QS World University Ranking.

Camila trabalha com psicoterapia na modalidade online, atendendo brasileiros que vivem no exterior através de uma abordagem dinâmica, voltada para a autorregulação e ajustamento criativo do indivíduo.

Agende uma sessão informativa sobre a psicoterapia online, sem nenhum custo, clicando aqui.





420 views0 comments