• Dra. Camila Couto e Cruz

Morando no exterior: “Estou adiando o sonho da maternidade”

Updated: Mar 12


“Cada escolha, uma renúncia”. Além de experimentar uma nova vida, morar no exterior também significa deixar para trás (ou pelo menos em pausa) vários outros sonhos e projetos de vida. A ideia de realizar o sonho de morar em outro país, vivenciar uma cultura diferente e novas experiências é muito tentadora, mas temos que ter a disposição e a consciência de entender que outros planos serão adiados, pelo menos por um período. Especialmente para mulheres e casais, imigrar significa adiar o sonho de ter filhos. De um lado, a possibilidade de criar um filho em um país desenvolvido, com mais oportunidades, segurança, saúde e educação de qualidade parece incrível. Do outro lado, a decisão de realizar o sonho da maternidade fora do seu país de origem, longe de pessoas amadas e sem a sua rede de apoio, pode ser muito difícil. Não é fácil aceitar que o seu filho crescerá longe da sua família e em um contexto cultural totalmente diferente do seu.


Planejar o nascimento de uma criança envolve diversas questões, principalmente a estabilidade financeira e profissional. Se isso já é difícil no seu país de origem, imagine lidar com essas questões estando em solo estrangeiro. Ao chegar em outro país, nos deparamos com outra realidade e acabamos regredindo, de certa forma, em alguns aspectos da nossa vida. Na maioria das vezes, ocupamos cargos fora da nossa área de atuação profissional e a questão financeira também passa a ser um problema. Além disso, temos que lidar com a adaptação a uma rotina, cultura e crenças diferentes das nossas. Todos esses fatores passam a ser verdadeiros obstáculos para quem deseja ter filhos, pois o cenário pode parecer favorável. Casais que optam em imigrar juntos e sonham em se tornar pais, aguardam pelo sentimento de segurança no país escolhido, contando com uma reserva financeira, um bom emprego e questões de visto resolvidas. Mulheres solteiras que sonham com a maternidade, também precisam avaliar a decisão de gerar uma criança com uma pessoa vinda de uma cultura totalmente diferente da sua.


Todas essas dúvidas e incertezas levam as pessoas a estados mentais de confusão, ansiedade e tristeza. A frustração por não realizar algo no momento em que desejamos pode gerar profundo sofrimento. A opção de gerar um filho no exterior é de grande importância e precisa ser tomada com cautela. Decida se você está disposta a esperar e arcar com as consequências disso. Caso não queira esperar, também avalie quais serão os efeitos disso na sua vida. Cada escolha importante que fazemos na nossa vida vem carregada de consequências e precisamos estar prontos para aceita-las. Se está com dificuldades, busque ajuda profissional para entender melhor os seus sentimentos e tomar a decisão mais acertada.


Se você se identificou com os assuntos tratados nesse post e gostaria de aprofundar-se no autoconhecimento através da psicoterapia ONLINE, entre em contato comigo clicando aqui. Desta forma eu poderei explicar mais sobre o meu trabalho para você e você poderá tirar dúvidas sobre a psicoterapia ONLINE.


Links Úteis:

Agendamento de consultas com a Dra. Camila Couto e Cruz


Siga as redes sociais para ter acesso a conteúdos como esse diariamente:

Facebook

Instagram


Quem escreve:

Camila Couto e Cruz é psicóloga com formação em Gestalt-Terapia e doutorado em Psicologia Social pela University of Queensland; uma das 50 melhores universidades do mundo, de acordo com o QS World University Ranking.

Camila trabalha com psicoterapia na modalidade online, atendendo brasileiros que vivem no exterior através de uma abordagem dinâmica, voltada para a autorregulação e ajustamento criativo do indivíduo.

Agende uma sessão informativa sobre a psicoterapia online, sem nenhum custo, clicando aqui.


242 views0 comments